segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Cantigas do Maio - José Afonso - 1971
postagem original: 24/01/2008
01 - Senhor Arcanjo
José Afonso

02 -
Cantigas do maio
popular - José Afonso

03 -
Milho verde
popular/arr. José Mário Branco

04 -
Cantar Alentejano
José Afonso

05 -
Grândola, Vila Morena
José Afonso

06 -
Maio maduro maio
José Afonso

07 -
Mulher da erva
José Afonso

08 -
Ronda das mafarricas
António Quadros - José Afonso

09 -
Coro da primavera
José Afonso

Músicos
Carlos Correia (Bóris)
Michel Delaporte

Christian Padovan

Tony Branis

Jacques Granier

Francisco Fanhais

José Mário Branco

********************************

No momento mágico da data comemorativa do aniversário da Megalópoli Megalomaníaca, as autoridades que teimam em usufruir de nossas riquezas contra o povo que trabalha a constrói, realizarão cerimônias para lembrar assassinos e escravocratas portugueses "valorosos". A destruição dos serviços públicos, a privatização da saúde e da educação para encher os bolsos de DEMoníacos e Tucanos será o mote dos sorrisos para as fotos nas festas de gala.

Sendo assim, vamos lembrar de um português que nadou contra a maré e que tem sua obra ligada à memória dos trabalhadores portugueses na luta contra o facismo, esse instrumento muito utilizado ainda hoje pelos detentores dos grandes meios de produção, nos quatro cantos do globo.

José Afonso, também conhecido como Zeca Afonso, nasceu em 2 de agosto de 1929 e faleceu em 1987. Começou a carreira musical em 1953 gravando em 78 rpm e encerrou sua carreira como um ícone da música portuguesa, sendo sua obra intimamente ligada a história do seu povo, seja pela qualidade poética e musical ou pela inspiração na luta contra o fascismo.
 

"O mais histórico e o mais referencial de todos os discos da música popular portuguesa. Gravado no Strawberry Studio, de Michel Magne, em Herouville (França), entre 11 de Outubro e 4 de Novembro de 1971, com arranjos e direcção musical a cargo de José Mário Branco, este disco assinala a primeira viragem de fundo na revolução musical iniciada por Zeca uma dúzia de anos antes. O tratamento instrumental de cada tema, a beleza poética e a subversão temática atingem, aqui um nível nunca anteriormente possível. E, uma vez mais, Zeca recusa a facilidade, incluindo canções onde o surreal é já assumido na sua totalidade (para desespero da direita e de uma certa esquerda, que insistia na necessidade de uma 'definição clara' de Zeca, à luz do 'socialismo científico') como Ronda das mafarricas ou Senhor arcanjo, a par de belíssimos temas de inspiração popular, como Maio, maduro Maio, A mulher da erva ou Cantigas do Maio e de óbvios cantos de resistência, como o Cantar alentejano, dedicado a Cataria Eufémia, camponesa assassinada pela GNR, ou Coro da Primavera. Gravado num tempo recorde e contando apenas com as participações de meia dúzia de músicos (Carios Correia, Michel Delaporte, Christian Padovan, Tony Branis, Jacques Granier e Francisco Fanhais, além de, naturalmente, José Mário Branco e Zeca), este disco seria considerado, em 1978, como o melhor de sempre da música popular portuguesa, numa votação organizada pelo Sete que contou com a participação de 25 críticos e jornalistas. Um tema, no entanto, bastaria para fazer de Cantigas do Maio um marco da história portuguesa: Grândola vila morena, escolhida em 1974 como senha para o arranque do Movimento dos Capitães, que em 25 de Abril derrubou a ditadura fascista." Viriato Teles - Fonte

Vamos torcer para que as canções de Zeca nos inspirem nas jornadas de luta que, certamente, virão neste ano e nos próximos!

O Homem Traça diz: ROAM!



Grândola, Vila Morena

5 comentários:

carlospinto disse...

Obrigado por renascerem a obra musical de Zeca Afonso, tão pouco conhecida e divulgada no vosso Brasil de todas as músicas.

Homem Traça disse...

De fato, Zeca Afonso não ocupa o devido lugar em minha terra, temos registros aqui e acolá. Conheço apenas algumas gravações, como as de Dércio Marques (desconhecido aqui mesmo no Brasil, por seu próprio povo). Os discos do Zeca são bem difíceis de encontrar por aqui, mas com a Internet, vamos diminuindo esse prejuízo.
Grande abraço!

Anônimo disse...

Ora, pois, pois, Homem-Traça, eu andava a fuçar atrás de discos deste gajo e nem arreparava que estavam aqui postadinhos há bom tempo, prontinhos para traçar... Bom, mas vamos lá para o download e mais uma vez valeu, patrício!

Marcelino Lima

Lucas Leão disse...

Há um erro no disco "Cantigas do Maio", a música "Coro da Primavera" foi substituída por "Vai, Maria Vai".

Homem Traça disse...

Valeu a dica sobre o erro. Demorei um pouco, mas corrigi.
Abraço