terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Festival MPB Shell Vol. 2 - 1981 - VA



1 - Planeta água 
Guilherme Arantes
Interpretado por: Guilherme Arantes
2 - Afufe o fole 
Jean Garfunkel - Fran Papaterra
Interpretado por: Jean Garfunkel
3 - Purpurina
Jerônimo Jardim
Interpretado por: Lucia Lins
4 - Estrelas
Oswaldo Montenegro
Interpretado por: José Alexandre 
5 - Cobras e Lagartos 
Néstor de Hollanda Cavalcanti - Hamilton Vaz Pereira
Interpretado por: Coral da Cultura Inglesa
6 - Estrela reticente 
Zeca Bahia - Fernando Coelho Teixeira
Interpretado por: Jessé
7 - John
Xixa Motta - Nelson Motta
Interpretado por: Olivia Byington
8 - Tango à brasileira 
César Brunetti - Fábio de Luccia
Interpretado por: César Brunetti
9 - Pensei que fosse fácil
Zé Rodrix - Miguel Paiva
Interpretado por: Rosana 
10 - Canção descalça
Mário Adnet - Juca Filho
Interpretado por: Boca Livre 
11 - Serra do luar
Walter Franco
Interpretado por: Walter Franco 
12 - Grade aberta
Sérgio Sá - Irene Acioli
Interpretado por: Sérgio Sá 
13 - Lua nova
João de Aquino - Ruy Quaresma - Oswaldo Miranda
Interpretado por: Sarah

***********************************************
Aqui chamamos atenção para o tino comercial da Som Livre: mesmo com Purpurina vencendo o Festival de 81, na posição de primeira faixa do "Lado A" fica a segunda colocada do Festival, eleita pelo público do Maracanhãzinho.

Nesse disco destacamos Serra do Luar do Walter Franco, que "usou a cabeça" para descartar o experimentalismo dos dois primeiros discos, modificou sua participação em festivais, apresentando uma canção palatável (regravada por Leila Pinheiro em 1991).

O Homem Traça diz: ROAM!



Serra do luar


Festival MPB Shell - Vol. 1 - VA - 1981



01 - Perdidos na selva
Júlio Cesar Barroso
Interpretado por: Gang 90 y As Absurdettes
2 - Amizade Sincera
Renato Teixeira
Interpretado por: Dominguinhos e Renato Teixeira
3 - Mordomia
Ari do Cavaco - Gracinha
Interpretado por: Almir Guineto
4 - Estrela do mar
Francis Hime - Olivia Hime
Interpretado por: Olivia Hime
5 - Navega coração
Kleiton Ramil - Kledir Ramil
Interpretado por: Kleiton & Kledir
6 - Adeus à dor
Sergio Natureza
Interpretado por: Tunai
7 - No nosso é refresco
Accioly Neto
Interpretado por: Accioly Neto
8 - O balão
Nando Carneiro - Geraldo Carneiro
Interpretado por: Beth Goulart
9 - Avenida Brasil
Marina Lima - Antônio Cícero
Interpretado por: Marina Lima
10 - Atalho
Mongol
Interpretado por: Mongol
11 - Tempo presente
Fernando Filizola
Interpretado por: Quinteto Violado
12 - Londrina
Arrigo Barnabé
Interpretado por: Tetê Espíndola

*******************************

Esse festival é um dos vários realizados pela TV Globo no início dos anos 1980. Suas eliminatórias gravadas nos estúdios foram marcadas por uma frivolidade burocratizada, já que a platéia era composta apenas por convidados. Já a final no Maracanãzinho a estrutura armada não segurou a galera e foi aquela frustração quando se anunciou a canção Purpurina, interpretada por Lucinha Lins, como a vencedora. Teve até vai, pois o público torcia por Planeta água do Guilherme Arantes. Estava claro que era um jogo de cartas marcadas. As 25 músicas finalistas, os melhores intérpretes e arranjos foram registrados em dois LP's e diversos compactos.

Nos dois LP's tem muita coisa insossa, afinal, se Purpurina ganhou e a sua intérprete foi a "melhor", há de se considerar as limitações do juri e da época.

Mas, apesar dos pesares, temos pérolas como Londrina do Arrigo Barnabé, interpretado pela Tetê ainda autêntica (muito diferente da produzida Escrito nas Estrelas que defendeu no Festival dos Festivais em 1985). Lembro de me divertir muito com o Quinteto Violado, Accioly Neto e Almir Guineto "metendo a boca no trombone" mesmo com os olhos ditatoriais atentos (a bomba dos terroristas militares no 1o. de maio de 81 no RioCentro ainda estava ecoando). Aliás, acho que a canção No nosso é refresco devia voltar a ser "hit" imediatamente!

De modo geral o festival serviu para dar evidência nacional a vários que eram desconhecidos e/ou iniciavam as suas carreiras, tais como Marina, Kleiton&Kledir, Olívia Byington, Boca Livre, Guilherme Arantes.

O Homem Traça diz: ROAM!

 

No nosso é refresco

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Som Imaginário - 1970



01 – Morse
Wagner Tiso - Zé Rodrix - Tavito
02 – Super God
Zé Rodrix
03 – Tema Dos Deuses
Milton Nascimento
04 – Make Believe Waltz
Zé Rodrix - Mike renzi
05 – Pantera
Frederyko - Fernando Brant
06 – Sábado
Frederyko
07 – Nepal
 Frederyko
08 – Feira Moderna
Beto Guedes - Fernando Brant
09 – Hey, Man
Zé Rodrix - Tavito
10 – Poison
Marco Antônio - Zé Rodrix

************************************

Segundo a página Rolling Stone, o Som Imaginário foi "formado na década de 70 originariamente para acompanhar Milton Nascimento, ...responsável por uma sonoridade inclassificável dentro da chamada linha evolutiva da música popular brasileira. Em três discos, um soando totalmente distinto do outro, delineou-se um estilo único e jamais repetido posteriormente. A formação inicial contava com Wagner Tiso (piano e órgão), Tavito (violão), Luiz Alves (baixo), Robertinho Silva (bateria), Frederyko (guitarra) e Zé Rodrix (órgão, percussão voz e flautas). Em diversas épocas de seu curto espaço de existência (de 1970 a 1975), outros músicos passaram pela banda: Laudir de Oliveira e Naná Vasconcelos (percussão), Nivaldo Ornelas (saxofone e flauta), Toninho Horta (guitarra), Novelli (baixo), Paulinho Braga (bateria) e Jamil Joanes (baixo)." A revista ainda adianta que em 2012 teremos algumas apresentações desses maravilhosos músicos, reagrupados para aparições mais que especiais.

Destaco Nepal, pois é uma canção irreverente que diverte e nos dá vontade de agir coletivamente para transformar a realidade em algo muito diferente da barbárie que nos aflige, afinal...

"No Nepal o ar é cristalino
e a verdade vem dentro dos ventos
e o carinho rende juros fortes
e o povo vive só de renda
Te convido companheira amada
a fugir para o Nepal comigo"

O Homem Traça diz: ROAM!



Nepal



terça-feira, 24 de janeiro de 2012

 Elis - Elis Regina - 1977



1 - Caxangá 
Milton Nascimento – Fernando Brant
2 - Colagem 
Cláudio Lucci
3 - Vecchio novo 
José Márcio Pereira – Cláudio Lucci
4 - Morro velho 
Milton Nascimento
5 - Qualquer dia 
Vitor Martins – Ivan Lins
6 - Romaria 
Renato Teixeira
7 - A dama do apocalipse 
Crispin – Nathan Marques
8 - Cartomante 
Vitor Martins – Ivan Lins
9 - Sentimental eu fico 
Renato Teixeira
10 - Transversal do tempo 
Aldir Blanc – João Bosco

Músicos
Cesar camargo Mariano - Nathan Marques - Crispin Dell Cistia - Wilson Gomes - Dudu Portes 

Participações especiais
Grupo Água: Renato Teixeira - Carlão - Sérgio Mineiro - Marcio Werneck
Antônio Carlos Dell Claro
Milton Nascimento
Ivan Lins
Sirlan
Thomas Roth
Lucinha Lins
Zé Luiz

******************************

Em 2012 lembramos o desaparecimento há 30 anos dessa intérprete marcante da música brasileira. O material disponível na rede sobre sua vida e obra é farto, portanto, nada temos a acrescentar além das impressões pessoais. 

Raramente comprei discos da Elis. Não porque não gostasse, mas como tocava no rádio ela e tantos outros foram ficando para depois, por conta da grana curta. Um dia ouvi na casa de alguém a canção Vecchio Novo e quis saber do resto do disco. Fiquei apaixonado pelas faixas desconhecias do rádio. Sobretudo pela apresentação de "desconhecidos", uma das características bacanas da Elis, que dava também relevância aos compositores sem destaque midiático. 

O Homem Traça diz: ROAM! Aqui também!



Vecchio novo

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Love, Peace and Poetry 2 Latin American Psychedeli - 1997 - V.A.



1 - Tema de Pototo
Almendra
2 - Someday
Laghonia
3 - I'm So Glad
Traffic Sound
4 - Colours
Kaleidoscope
5 - We All Together
Tomorrow
6 - Cuando Llegue el Año 2000
Lost Gatos
7 - Kissing Spell
Yellow Moon
8 - Virgin
Traffic Sound
9 - Obertura
Almendra
10 - Trouble Child
Laghonia
11 - El Evangelio de la Gente Sola
Los Mac's
12 - Oscar Wilde
Los Vidrios Quebrados
13 - Super-God
Som Imaginário
14 - People
Ladies WC
15 - Lem - Ed - Ecalg
Módulo 1000
16 - Degrees
Los Mac's
17 - Betty Boom - Little Monster - Doggie and Peggie at the Witchs Castle
The (St. Thomas) Pepper Smelter
18 - It's Over
Los Dug Dug's

************************

Lançado em 1997, esse é o segundo disco de uma série com pérolas psicodélicas dos anos 60, com foco na América Latina. A coletânea apresenta 18 faixas de grupos legendários e/ou precursores do rock na região, como o Almendra e Los Gato (ambos da Argentina), o Laghonia (Peru). Chamo atenção para a produção da Argentina e Peru, pois é muito rica e surpreendente. Do Brasil a coletânea traz o Som Imaginário e o Módulo 1000.

O disco é muito bacana, sobretudo para os roqueiros que admiram a psicodelia, mas deve agradar também àqueles que gostam de MPB. 

O Homem Traça diz: ROAM!



Cuando Llegue el Año 2000

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Nina Maika - Edson Natale - 1990


01 - Viajante
Edson Natale
02 – Guaimbé
Edson Natale
03 - Toque de fada
Edson Natale - Toninho Mattos
04 - Nina Maika
Canção folclórica Iugoslava
05 – Alfacinha 
Edson Natale
06 - Pequena canção para uma mulher nua
Edson Natale
07 - Perseguindo o pôr-do-sol 
Edson Natale
08 - Agora e na hora de nossa morte
Edson Natale
09 - Par de asas 
Edson Natale

*******************************
O músico Edson Natale hoje é produtor cultural e gerente do núcleo de música do Instituto Itaú Cultural. Participou do grupo Dharana, gravou os discos solos "Nina Maika", "Sol de Inverno", "Quando Eu Soube Que Você Viria" e "Lavoro" e, em 2005 foi selecionado pelo Prêmio Petrobrás para gravação do CD Calvo, com sobrepeso. Desde 1994 publicou Guias de Produção Musical e "literatura" afim.  Produziu CDs de Renato Braz, Parlapatões, Patifes & Paspalhões, Jackson Antunes & Chico Lobo, entre outros artistas.

No LP Nina Maika encontramos os mesmos climas experimentados nas gravações do Dharana, os arranjos aproveitam as ilustres participações de Toninho Horta, André Geraissati, Alex Braga, João Paraíba, além de Edson Cordeiro que participa vocalizando em três faixas. Edson Natale é um bom instrumentista, mas experimenta o canto em algumas faixas. Essa humilde traça considera isso o ponto fraco do disco, de qualquer forma, não custa conferir. 

O Homem Traça diz: ROAM!



Guaimbé