quinta-feira, 31 de março de 2016

Canções - Péricles Cavalcanti - 1991


Postagem original em 28/08/2008


1 - Dos prazeres das canções
Péricles Cavalcanti
2 - Elegia
Augusto de Campos - Péricles Cavalcanti
(a partir de poema de John Donne, séc. XVII)
3 - Blues da passagem
Péricles Cavalcanti
4 - Tudo sobre Eva
Péricles Cavalcanti
5 - Sonho proteína
Péricles Cavalcanti
6 - Nuvoleta
Augusto de Campos - Péricles Cavalcanti
(a partir de um fragmento de "Finnegan's Wake" de James Joyce)
7 - Sem drama
Péricles Cavalcanti
8 - Meu bolero
Péricles Cavalcanti
9 - Ode primitiva
Augusto de Campos - Péricles Cavalcanti
(fragmento de "Uma Galáxia")
10 - Quem nasceu?
Péricles Cavalcanti
11 - Canto maneiro
Péricles Cavalcanti
12 - Farol da Jamaica
Péricles Cavalcanti
13 - Música, por que?
Péricles Cavalcanti
14 - Eassimserá...
Péricles Cavalcanti

Músicos
Péricles - Sacha Amback - Marcelo Costa - Lulu Santos - Celso Fonseca - Ricardo Rente - Dadi - Zaba Moreau - Márcio Montarroyos - Marcos Vicente - Mathias Capovilla - Eveline - Marize - Simiana

Participação Especial
Caetano Veloso - Lulu Santos

*************************

Péricles da Rocha Cavalcanti, nasceu no Rio de Janeiro e foi criado em São Paulo. Formou-se e filosofia pela USP em 1969 e andou por Paris até 1971. Nesse ano estreia participando como intérprete da trilha sonora do filme "Copacabana, mon amour", de Rogério Sganzerla, trilha composta por Gilberto Gil. Desde então participou de trilhas para cinema e teatro.

Teve músicas e adaptações suas gravadas por Caetano Veloso e Gal Gosta nos anos 70, como Elegia e Negro Amor (versão de uma canção de Bob Bylan).

Este é seu primeiro disco, pelo que sei. Particularmente acho Péricles bastante despretensioso, um cara que faz música como um jeito criativo e bem humorado, encanta e diverte ao mesmo tempo. Parece que canta sorrindo, deve ter aprendido isso com Mário Reis.

"Elegia" está aí pra quem quiser ver o autor em ação. Mas destaco "Tudo sobre Eva", pra reforçar que a "mulher é um livro místico e somente a alguns a que tal graça se consente é dado lê-la".

O Homem Traça diz: ROAM!

Tudo sobre Eva

terça-feira, 15 de março de 2016

Contando estórias - 1995 - Naná Vasconcelos



1 - Fui Fuio
Teese Gohl - Naná Vasconcelos
2 - Cortina
Naná Vasconcelos
3 - Clementina (No Terreiro)
Naná Vasconcelos
4 - Uma Tarde No Norte
Naná Vasconcelos
5 - Noite Das Estrelas 
Naná Vasconcelos - Erasmo Vasconcelos
6 - Tu Nem Quer Saber 
Naná Vasconcelos
7 - Um Dia No Amazonas
Naná Vasconcelos
8 - Nordeste
Folclore
Mus. Inc. “Tocando sem os dedos” (Tavares da Gaita) 
“A criançada” (Mauro-Quitéria)
9 - Vento Chamando Vento 
Naná Vasconcelos
10 - Tira O Leo 
Naná Vasconcelos

Músicos 
Naná Vasconcelos - Teese Gohl - Peter Scherer - Sérgio Brandão - Romero Lubambo

*********************

Daqui pra lá, de lá pra cá, brincando, Naná foi buscar o seu chapéu. Adeus, Naná, grato por deixar tantas pérolas, que nos permitirão seguir dando felizes pausas na lida e lembrando de ti.

O Homem Traça diz: ROAM!

 

Fui Fuio

domingo, 13 de março de 2016

Africadeus - 1972 - Naná Vasconcelos, Nelson Ângelo, Novelli

Postagem original: 21/04/2013



1 - Africadeus
Naná Vasconcelos
2 - Aboios
Naná Vasconcelos
3 - Seleção de Folclore
Naná Vasconcelos
4 - No sul do Polo Norte
Nelson Angelo
5 - No norte Do Polo Sul
Nelson Angelo
6 - Aranda
Nelson Angelo - Ronaldo Bastos
7 - Toshiro
Novelli
8 - Baião do Acordar
Novelli
9 - Garimpo
Nelson Angelo
10 - Tiro Cruzado
Márcio Borges - Nelson Angelo
11 - Pinote
Naná Vasconcelos

Músicos
Naná Vasconcelos - Nelson Ângelo - Novelli

************************

Esse é o primeiro disco do Naná, mas pode ser considerado também o primeiro dos demais que formam o trio. Nessa época os três estavam envolvidos com a produção de Milton Nascimento, Naná e Novelli fizeram parte do Som Imaginário, uma banda que foi muito mais que banda de apoio (lançou três discos sob a liderança de Wagner Tiso). Naná tocou com muita gente, inclusive com Geraldo Vandré no show Caminhando em 1968 (proibido pela censura).

Esse LP inaugura uma produção experimental, mas também traz à cena a tradição da percussão colada ao canto típico das manifestações populares que formaram Naná. A faixa "Seleção de Folclore" é uma grata demonstração de que a tradição e a experimentação estão de mãos dadas, ao mesmo tempo a "modernagem se emparelha" na canção "Tiro Cruzado", eis o violão sincopado e o órgão com clima progressivo de Nelson, embalado pela vibração do baixo de Novelli.

O Homem Traça diz: ROAM!


 

Tiro Cruzado