quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Êta Nóis - V. A. - 1984


01 - Mazzaropi
Jean e Paulo Grafunkel
02 - Lira Mulata
Luli - Lucina - João gomes
03 - Amor roxo
Joésia
04 - Lua pequena
Milton Edilberto
05 - Moto contínuo
Marta Strauch - Paulo Leminski
06 - Êta nóis!
Luli - Lucina
07 - Gosto que eu gosto
Prata - Jean e Paulo Garfunkel
08 - Barcos e beijos
Joésia
09 - Dentro da núvem
Bené Fonteles
10 - Flor do campo
Milton Edilberto

Músicos
Luli - Lucina - Zé Gomes - Milton Edilberto - Jean Garfunkel - Paulo Garfunkel - Prata - Natan Marques - Cláudio Faria - Azia - Luciano Disegni - Roberto Lazzarini - Cabral - Murilo Fonseca - Erivaldo - Manuel - Sergio Chica - Klecius Albuquerque - Pier - Luis R. Perez - Marco Bosco - Décio - Jorge Melo - Joésia

Participações Especiais
Ney Matogrosso - Prata

********************************

Aqui, um disco bacana que dá ideia do diálogo que Luli e Lucina produziram entre os músicos e amigos. Essa coisa de trazer à cena gente bacana se intensificou no programa Conversinha da Rádio USP, iniciado em 1986.

Muita saudade de gente que veio e se foi, o registro de Êta nóis dá o tom.

O Homem Traça diz: ROAM!

 

Êta Nóis

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Luli e Lucina - 1978
Postado originalmente em 26/01/08



1 - Pois é
Luli e Lucina

2 -
Cheiro de Rosa

Luli e Lucina
3 -
Yorimatã okê aruê

Luli e Lucina
4 - Me rói
Luli e Lucina
5 -
Toque forte

Mário Avellar - Luli - Lucina
6 -
Coração aprisionado

Luli e Lucina
7 -
Ai, ai
Luli e Lucina
8 -
Amor será

Luli e Lucina
9 -
Numa rede

Luli e Lucina
1 0 -
Pequenininha

Luli e Lucina 1
1 -
El corazón te guiará

Mário Borges da Fonseca - Luli - Lucina
12 -
E foi

Luli e Lucina

Músicos
Luli e Lucina - Violão, percussão e vozes
Alvinho - Cavaquinho
Chico Batera, Nacho e Ciça - Percussão
Nivaldo Ornellas - Piano, voz e flauta
Fernando Leporace - Baixo
Maurício Einhorn - Gaita
Paul de Castro - Guitarra e violino
Rui Motta - Bateria e Percussão
Lena, Chipo Pupo e Lúcia Turnbull - Vocal
Harry Schroeter - violino
Luciano e Luís Paulo Simas - Piano
Alceu - CelloTúlio Mourão - Arp String
Paulinho Machado - Piano Elétrico

*************************************
Nos anos 80 grande parte do que era novo e/ou alternativo na MPB passava pela programação da Rádio USP. Nos programas especiais eu apreciava de tudo um pouco, sons alternativos de toda parte. E foi assim que ouvi a música de Luli e Lucina pela primeira vez.

Se eu fosse listar composições para uma "trilha sonora" do filme da minha vida, certamente Luli e Lucina estariam entre as primeiras faixas. O nome do filho que nunca tive viria de uma de suas canções, tenho gravadas brincadeiras musicais com minha filhinha mais velha cantando "Pequenina" e muitos registros de reflexões impostas pela vida embaladas por suas letras e melodias.

Os nomes verdadeiros das moçoilas são: Heloisa Orosco Borges da Fonseca e Lucia Helena Carvalho e Silva. A dupla Luli e Lucina foi revelada no VI FIC (1971, ano em que gravam o primeiro compacto duplo), ao classificar a música “Flor lilás”. Luli e Lucina vinham da participação no Grupo Manifesto, em 1967 emprestavam suas vozes femininas acompanhando o grupo no Festival Internacional da Canção, o que credenciou Luli para o primeiro LP solo, bossanovista ao gosto da época. Nesse Festival acompanhavam um tal de Gutemberg Guarabyra, também integrante do grupo Manifesto, na canção vencedora intitulada Margarida.

Durante os anos 70 a dupla se afirmou, transitando entre os artistas alternativos ou não que iniciavam suas carreiras. Conta-se que Ney Matogrosso fora apresentado por Luli à trupe dos Secos e Molhados, não por acaso, duas de suas canções mais conhecidas (O vira e Fala) foram gravadas no primeiro disco do grupo. Durante toda sua carreira Ney Matogrosso recorre a músicas da dupla Luli e Lucina para compor o repertório de seus discos, como Bandoleiro e De Marte, entre tantas outras.

Esse é o primeiro LP gravado pela dupla, o terceiro disco independente no Brasil. Sua música é deveras feminina, ousada, delicada e com força experimental de quem há muito está além do rótulo generalizante chamado MPB.

A dupla durou 25 anos e hoje cada uma segue seu caminho solo mantendo a qualidade musical como característica perene.

Pra saber mais: sítio da Luhli, sítio da Lucina, entrevista muito divertida com a Luhli!

O Homem Traça diz: ROAM!



Toque forte