domingo, 24 de julho de 2016

Os homens são todos iguais - 1993 - Carlos Careqa


1 - Não Dê Pipoca Ao Turista
Carlos Careqa - Adriano Sátiro - Oswaldo Rios
2 - Acho
Carlos Careqa
3 - Os Homens São Todos Iguais
Carlos Careqa - Adriano Sátiro - Edilson Del Grossi
4 - Subway 
Carlos Careqa
5 - A Última Quimera De Sebastião Antonio Pereira
Beto Trindade - Eduardo Prante - Carlos Careqa
6 - Couto Anual
Carlos Careqa
7 - Não Dê Pipoca Ao Turista II
Carlos Careqa - Adriano Sátiro - Oswaldo Rios
8 - Alles Plastik
Carlos Careqa - Adriano Távora - Paulo Leminski
9 - Tá Na Cara Que É 
Carlos Careqa - Adriano Sátiro - Beto Trindade
10 - Deus Não Pensa
Carlos Careqa - Adriano Sátiro
11 - Cidade 
Carlos Careqa - Milton Karam
12 - O Outro Lado
Carlos Careqa - Fábio Belik

Músicos
Ricardo Sporski - Belmiro Jorge - Francisco Ultrabo - Helinho Brandão - Jamur Fressato - Ricardo Roche - Toninho Ferragutti - Dudu Tucci - Fernando Montanari - Orlando Fraga - Curt Shroeter - Saul da Silva Bueno - Nelson Martins - Glauco Sölter - Silvinho Spolaore - Bosco Fonseca - Sergio Silvestri - João Carlos Ribeiro - Francisco Ultrabo - Johnny - Chico Mello -  Salustiano

Participações
Arrigo Barnabé - Tetê Espindola - Cida Moreira - Rodrigo Homem - Itamar Assumpção

***********************

Esse é o disco de esteia do Carlos Careqa. Experimentalista, cheio de letras e arranjos satíricos, propõe boas reflexões sobre a vida consumista, a sexualidade e as relações afetivas. A canção "Acho", a mais lírica desse repertório, tocou bastante nas rádios.

O Homem Traça diz: ROAM!

 

Subway

Música para final de século - 1998 - Carlos Careqa

Postagem original: 24/08/2013


01 - Ser igual é legal
Carlos Careqa - Adriano Sátiro
02 - Chorando em 2001
Carlos Careqa - Chico Mello
03 - No caminho para Santiago 
Carlos Careqa 
04 - Música para final de século 
Carlos Careqa - Adriano Sátiro 
05 - Manhattan tan tan
Carlos Careqa
06 - Eclipse em meia-lua
Carlos Careqa - Adriano Sátiro - Arrigo Barnabé
07 - Cortei o dedo
Carlos Careqa - Raul Cruz
08 - São Solidão 
Carlos Careqa 
09 - Temporal
Carlos Careqa
10 - Não minta para mim
Carlos Careqa - Hélio Leites
11 - Feliz amor 
Carlos Careqa
12 - A cor de Nova Yor 
Carlos Careqa 
13 - Não pise nos meus Carlos 
Carlos Careqa - Adriano Sátiro
14 - Vou sair (as comprinhas)
Carlos Careqa

Músicos
Carlos Careqa - Chico Mello - Dudu Tucci - Toninho Ferragutti - Guello - Bocato - Arrigo Barnabé - Luiz Amato - Otávio Scoss Nicolai - Alejandro Leon - Renato Lemos - Anna Clementi

*************************************

Carlos de Souza nasceu em Lauro Müller, no distrito de Guatá, Santa Catarina. Desde os cinco anos foi para Curitiba, onde passou a infância e a adolescência. Estudou no seminário Salesiano de Ponta Grossa, para se tornar padre. Aos 18 anos, em 1979, ingressou no Grupo de Teatro dirigido por Laerte Ortega, depois de rápida passagem pelo grupo Sal da Terra, forma uma dupla com Fernando Vieira, onde experimenta suas primeiras composições, fazendo shows no início dos anos 80.

Careqa esteve em Nova York em 1984 e 1986, onde fez temporadas em bares locais. Em 1993 lança seu primeiro disco, "Os Homens são todos iguais", com participações de Arrigo Barnabé, Tetê Espindolla, Cida Moreira, Itamar Assumpção, Tangos e Tragédias.

O "Música para final de século" é o segundo disco e dá continuidade a utilização de diversos estilos musicais para veicular o bom humor, o convite à reflexão, ao lirismo e à beleza. Os músicos envolvidos já dão o tom da qualidade do trabalho. Destaco "Cortei o dedo", também gravada no primeiro disco da Rita Ribeiro.

O Homem Traça diz: ROAM!

   

Cortei o dedo

Black Sugar II - 1974



01 - Fuego
02 - Valdez in the country
03 - Don't you worry about a thing
04 - The dawn of my madness
05 - I want to believe
06 - Checan
07 - Kathy
08 - All your love
09 - Wake up

*******************************

Em seu segundo LP o Black Sugar continua mandando ver, com composições próprias, misturam a música latina negra com tendências da música americana, como o rock e a black music. Boas pedidas pra dançar!

O Homem Traça diz: ROAM!

   

Checan

Black Sugar - 1971

Postagem original: 16/12/2012


1 - Too Late
Carlos Mejia - Black Sugar
2 - Little Trip
Miguel "Chino" - Jaime Delgado Aparicio
3 - The Looser
Miguel "Chino" Figueroa - Carlos Mejia - Black Sugar
4 - This Time
Carlos Mejia - Black Sugar
5 - Funky Man
Victor "Coco" Salazar - Jaime Delgado Aparicio - Black Sugar
6 - Understanding
D.R. 
7 - When You're Walking
Carlos Mejia - Black Sugar
8 - When I Needed Someone
Carlos Mejia - Black Sugar
9 - Pussy Cat
G. Halligan

Músicos
Victor "Coco" Salazar - J.D.A. - V. Salazar - Coco Lagos - Miguel Salazar - Roberto Valdez - Miguel "Chino" Figueroa - José Cruz - Jorge Chávez - Antonio Ginocchio - Carlos Mejía

*******************************

Em 1969 "Coco" Salazar e Miguel "Chino" Figueroa formaram uma banda sob o nome de Los Longe Fen,  gravaram 3 álbuns de 45 RPM. Os arranjos de "Coco" Salazar e solos de teclado de "Chino" Figueroa,  determinaram a futura direção musical do Black Sugar.

Em 1970 o grupo foi rebatizado para Black Sugar por Jaime Delgado Aparicio, um pianista de jazz e arranjador que na época era o diretor artístico da Rádio Sono. Gravam em 1971 o LP com composições originais como "Too Late", "Little Trip" e "The Looser".

Em 1974 a banda gravou o segundo álbum intitulado Black Sugar II, que tem mais  composições originais do que o primeiro e mostra o resultado da maturidade musical. Várias faixas deste álbum foram destaques na década do rock peruano nos anos 70. 

Até 1975 a banda era formada por nove músicos: Victor "Coco" Salazar (fundador, guitarrista e arranjador). Miguel "Chino" Figueroa (teclados), Roberto Valdez (baixo), José Luis "Arrocito" Cruz (bateria), Antonio Ginocchio (trompete), Jorge Chavez (sax alto), Coco Lagos (1 baterista), Miguel Salazar (2 . percussionista) e Carlos "Pacho" Mejia (Vocais e autor da maioria das canções).

O Homem Traça diz: ROAM!




Funky Man

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Per Un Amico - 1972 - Premiata Forneria Marconi


1 - Appena Un Po'
M. Pagani - F. Mussida - F. Premoli
2 - Generale!
M. Pagani - F. Mussida - F. Premoli
3 - Per Un Amico
M. Pagani - F. Mussida - F. Premoli
4 - Il Banchetto
M. Pagani - F. Mussida - F. Premoli
5 - Geranio
M. Pagani - F. Mussida - F. Premoli

Músicos
Franco Mussida - Flavio Premoli - Mauro Pagani - Giorgio Piazza - Franz Di Cioccio 

***************************

Este é o segundo LP do Premiata. Nove meses depois do primeiro álbum estes italianos dão nova contribuição para o Rock Progressivo deixando a sua marca melodiosa e experimental distinta dos grupos ingleses mais famosos de então. Foi o primeiro que comprei, um LP riscadinho, mas que me abriu os ouvidos para todas as outras maravilhosas bandas italianas.

O Homem Traça diz: ROAM!

 

Per Un Amico

Álbum - 2000 - Ulisses Rocha


01 - Satisfaction
Mick Jagger - Keith Richards
Rolling Stones
02 - Highway Star
Gillan - Lord - Blackmore - Roger - Paice
Deep Purple
03 - And I Love Her
McCartney - Lennon
Beatles
04 - Message In A Bottle
Sting
Police
05 - Change The World
Kirkpatric obed Wayne - Kennedy - Gordon Scotf Sims
Eric Clapton
06 - Trem da História
Ulisses Rocha
07 - Us And Them
Roger Waters - John Wright
Pink Floyd
08 - Lucky Man
Greg Lake
Emerson, Lake and Palmer
09 - Hocus Pocus
Jan Akkerman - Thijs Van Leer
Focus
10 - Walking On The Moon
Sting
Police
11 - Stairway To Heaven
Jimmy Page - Robert Plant
Led Zeppelin

Músicos
Ulisses Rocha - Pepa D´Elia - Zé Alexandre Carvalho - Leo Gandelman - Tracy Silverman - Renato Martins - 

***********************

Nesse disco, Ulisses Rocha literalmente trabalha com a ideia de álbum e vai buscar em alguns clássicos do rock o seu ponto de partida para recriar em seu violão o que cantarolamos e dançamos há décadas.

O Homem Traça diz: ROAM!

 

Hocus Pocus

quinta-feira, 14 de julho de 2016

Vital Farias - 1978



01 - Canção em dois tempos (Era casa era jardim) 
Vital Farias
02 - O sobressalto 
Vital Farias - Livardo Alves
03 - Bate com o pé xaxado 
Vital Farias
04 - Bandeira desfraldada 
Vital Farias
05 - Via crucis da mulher brasileira 
Vital Farias - Livardo Alves
06 - Alice no curral das maravilhas 
Vital Farias - Salgado Maranhão
07 - Deixe de afobação 
Vital Farias
08 - Expediente interno 
Vital Farias
09 - Poema verdade 
Vital Farias
10 - Caso você case 
Vital Farias
11 - Ê mãe 
Vital Farias -  Livardo Alves
12 - Estudo nº 2 
Napoleon Coste

Participação
Tânia Alves

*******************************

Paraibano de Taperoá, estudou música no Conservatório de Música de João Pessoa, mudou-se para o Rio de Janeiro em 1975 e, em 1981, graduou-se pela Faculdade de Música. Sua obra é marcada pelos estilos musicais nordestinos e pela temática social. Com letras líricas e críticas à realidade enfrentada pelo povo brasileiro, por vezes foi impedido pela censura da ditadura militar de cantar certas canções. Esse é o seu disco de estreia, traz clássicos como "Canção em dois tempos (Era casa era jardim)", "Ê mãe" (gravado originalmente por Ari Toledo) e "Caso você case" (gravada para a trilha sonora da novela Saramandaia por Marília Barbosa).

O Homem Traça diz: ROAM!

 

Canção em dois tempos (Era casa era jardim) 



Zezé Motta - 1978



1 - Muito Prazer Zezé
Rita Lee - Roberto de Carvalho
2 - Magrelinha 
Luiz Melodia
3 - Trocando Em Miúdos 
Francis Hime - Chico Buarque
4 - Rita Baiana 
John Neschling - Geraldo Carneiro
5 - Dores de Amores 
Luiz Melodia
6 - Crioula 
Moraes Moreira
7 - Pecado Original 
Caetano Veloso
8 - Mameto Oiaice 
Célio José - Odeamim José
9 - O Morro Não Engana 
Luiz Melodia - Ricardo Augusto
10 - Dengue 
Leci Brandão
11 - Babá Alapalá 
Gilberto Gil

Participação
Luiz Melodia

Músicos
Sérgio Dias Baptista - Paulino Soledade - Liminha - Paulinho Braga - Lúcia Turmbull - Jorge Robson - Cidinho Moreira - Miguel Cidras - Jamil Joanes - Pedrinho Rezende - Perinho Albuquerque - Moacir Albuquerque - Enéas - Bira - Ruy Quaresma - Raimundo Nicioli - Alceu Maia - Tony Botelho - Ovídio Brito - Tutti Moreno - Beth Ernest - José Carlos - Tomás Importa - Rubens Soares - Rubens Sabino - Robertinho Silva - Marcus Palma - Antõnio Adolfo - Sebastião Neto - Márcio Wernek - Vitor Assis Brasil - Djamma Correa - Cid Freitas - Maria Elizabeth E. B. de Magalhães - José Carlos M. Ramos - Settimo Paioletti - Severino Gomes da Silva - Sebastião José Silberto - Roberto Sion- Renato Cauchioli - Rafael Galhardo Caro - Boião - Giraldo Auruni - Dorival Auruni - Demétrio Santos Lima - Arlindo Bonardio 

***********************

Natural de Campos dos Goytacazes, mudou-se para o Rio de Janeiro aos dois anos de idade. Estudou teatro com Maria Clara Machado. Iniciou a carreira de atriz em 1967, na peça "Roda-viva", de Chico Buarque, com a direção de José Celso Martinez Corrêa. Em 1971 começou a carreira de cantora em casas noturnas de São Paulo. Em 1975, lançou o LP "Gerson Conrad e Zezé Motta".

O LP "Zezé Motta" traz arranjos primorosos de Liminha, Perinho Albuquerque, Antônio Adolfo, John Neschiling e Tomás Importa. Zezé defende com sua voz marcante um repertório certeiro, orgulhosamente marcado por sua feminilidade e negritude. Certamente Zezé é uma das grandes cantoras da música popular brasileira.

O Homem Traça diz: ROAM!

 

Pecado original

Snegs - 1974 - Som Nosso de Cada Dia

Postagem original: 07/04/2008




01 - Sinal da Paranóia
Cimara - Pedrão
02 - Bicho do Mato
Gastão Lamounier Neto
03 - O Som Nosso de Cada Dia
Paulinho - Pedrão
04 - Snegs de Biufrais
Paulinho - Pedrão
05 - Massavilha
Paulinho - Pedrão
06 - Direccion de Aquarius
Paulinho - Pedrão
07 - A Outra Face
Pedrão - Pedrinho

Bonus
08 - O Guaray
Carlos Gomes

*******************************

Grupo de rock que, a exemplo do
Casa das Máquinas, foi formado por um integrante dos Incríveis, no caso o tecladista e saxofonista Manito. O grupo surgiu em 1970 com o nome Cabala, com Pedrão (contrabaixo) e Pedrinho (bateria); em 1973 adotou o nome O Som Nosso de Cada Dia. Em 1974 gravaram um LP, Snegs; nesse mesmo ano fizeram a abertura dos shows de Alice Cooper no Brasil. Ainda em 1974, Manito saiu do grupo para substituir Arnaldo Baptista, que havia saído dos Mutantes, e o Som Nosso de Cada Dia mudou de nome (para simplesmente Som Nosso), formação (entraram Egydio Condé, ex-Moto Perpétuo, na guitarra, e Tuca, teclados) e estilo, tornando-se um grupo de funk-disco-rock e dos melhores; gravaram um LP (Som Nosso, 1977) onde se destacaram "Pra Swingar" e "Francine", e encerraram a carreira ainda no mesmo ano. 

Em 1993, a versão progressiva do grupo, com Manito, Pedrão e Pedrinho, se reuniu para gravar uma adaptação da "Protofonia" da ópera Il Guarany de Carlos Gomes, especialmente para a reedição de Snegs pelo selo Progressive Rock Worldwide. Manito voltou para os Incríveis (chegando a sair novamente), Pedrinho tocou com vários artistas até falecer nos anos 1990.

O LP Snegs é o melhor entre os dois discos oficiais do grupo, do ponto de vista do rock progressivo. O Som Nosso foi uma das bandas brasileiras mais criativas dos anos 70, por conta de sua originalidade transcendeu àqueles rótulos limitadores e comparativos com bandas como o Yes e Pink Floyd, às quais os críticos da época tinham como referência para qualquer grupo que experimentasse algo progressivo.

Em 1993 cheguei a vê-los numa mostra de rock progressivo do Centro Cultural São Paulo. Na ocasião, o repertório do show foi baseado majoritariamente no lado "Sábado" do segundo LP, ou seja, a galera esperava ouvir progressivo e ficou com o soul (ainda que a competência fosse das melhores, a galera amargou uma frustraçãozinha). 

O Homem Traça diz: ROAM!

   

Bicho do mato

terça-feira, 12 de julho de 2016

Anjo Vadio - 1980 - Olívia Byington



01 - Anjo vadio
Olivia - Geraldo Carneiro
02 - Onde o sol bate e se firma
Luiz melodia
03 - Olha a lua
John Neschling - Geraldo Carneiro
04 - Lua branca
Olivia - Charles
05 - Uva de caminhão
Assis Valente
06 - Dengo tengo
Luli e Lucina
07 - Doce de pimenta
Roberto Carvalho - Rita Lee
08 - Primeiro Jornal
Sueli Costa - Abel Silva
09 - Nossa senhora dos aflitos
Nando Carneiro - Geraldo Carneiro
10 - Mais clara, mais crua
Egberto Gismonti - Geraldo Carneiro


Músicos
Lincoln Olivetti - Robson Jorge - Alexandre e Fernando Leporace - Picole - Ariovaldo - Jorginho - Netinho - Aurino - Marcio Montarroyos - Bidinho - Ed Maciel - Olivia - Mauricio Maestro - Beto Resende - Nando Carneiro - Octavio Burnier - Jose Menezes - Dino 7 Cordas - Neco - Gordinho - Doutor - Jorge José - Jorge Arena - Dori Caymmi - Oscar Castro Neves - Muri Costa - Egberto Gismonti


****************************

Este é o segundo disco da carreira da Olívia Byington. Diferente o primeiro, este parece mais uma procura por um estilo dentro da vasta MPB. Com diversos arranjadores, contem um repertório variado que vai de Assis Valente, passa pelo pop de Rita Lee e chega ao Egberto Gismonti. É um LP sem unidade, no entanto, ainda que tenha mais faixas que se destacam, a versão letrada de "Palhaço", de Egberto Gismonti, vale a roída.

O Homem Traça diz: ROAM!




Mais clara, mais crua