domingo, 12 de fevereiro de 2017

Premeditando o Breque - 1981

Postagem original: 07/10/2008


1 - Essa é a verdade
Mário Biafra - Wandi Doratiotto
2 - Conflito de gerações
Wandi Doratiotto
3 - Brigando na Lua
Mário Biafra
4 - Marana
Mário Biafra - Wandi Doratiotto
5 - Marcha da kombi
Wandi Doratiotto
6 - Feijoada total
Premeditando o Breque
7 - Samba absurdo
Mário Biafra
8 - A Esperança é a última que morre
Wandi Doratiotto
9 - Nunca
Marcelo Galbetti - Mário Biafra - Wandi Doratiotto
10 -Choro
Marcelo Galbetti
11 - Gosto Também Se Discute
Wandi Doratiotto
12 - Luisa
L. Robin - R. Whiting - Vrs. Igor - Vrs. Mário Biafra
13 - Fim de Semana
Wandi Doratiotto

Bônus na edição em CD
14 - Antwort
Mário Augusto Haydar e Wanderley Doratiotto

Músicos
Marcelo (Antônio Marcelo Galberti)
Igor (Igor Lintz Maués)

Wandy (Wanderley Doratiotto)
Claus (Claus Erik Petersen)
Biafra (Mário Augusto Aydar)


*************************************

"O grupo destacou-se desde o início tanto pelas letras irreverentes e bem-humoradas quanto pela qualidade musical, baseada em arranjos sofisticados, fundindo MPB, chorinho, rock e até mesmo música erudita.

Já em 1979, o samba-de-breque Brigando na Lua era premiado com o segundo lugar no 1º Festival Universitário de Música Popular Brasileira. No ano seguinte, o grupo começaria a se celebrizar em apresentações no teatro Lira Paulistana - um reduto da música independente paulista de então -, ao lado de nomes igualmente emergentes da cena musical paulista como Arrigo Barnabé, Itamar Assumpção e Grupo Rumo.

Em 1981, o grupo lançou seu primeiro disco "Premeditando o Breque", conseguindo notoriedade no meio universitário e intelectual. E logo em seguida, em 1982, a banda chegou à etapa final do festival MPB Shell, promovido pela Rede Globo. A música apresentada no Maracanãzinho lotado foi "O Destino assim o Quis" ou, simplesmente "Lencinho", como ficou conhecida. O maior sucesso do repertório, contudo, viria em 1984, no LP "Quase Lindo". Trata-se da canção São Paulo, São Paulo, uma divertida referência a New York, New York, mas adaptada à capital paulista. A música foi sucesso nas rádios, sobretudo em São Paulo, e levou o grupo a se apresentar em diversos programas de televisão. Outra música que ficou conhecida do grupo foi Lua de Mel em Cubatão, numa época em que Cubatão era considerada uma das mais poluídas cidades do mundo.

O grupo despertou o interesse de uma multinacional, a EMI, e a partir de lançou, em 1985 e 1986, dois LPs produzidos por Lulu Santos. Os discos não tiveram o mesmo sucesso dos anteriores, segundo alguns críticos, justamente pelo fato de terem na produção um carioca, a serviço de uma grande gravadora - dois fatores supostamente contraditórios com a proposta da banda.

Entre 1987 e 1991, o grupo cessou suas atividades, retomadas com o LP de 1991 "Alegria dos Homens" e, em 1996, com "Premê ao Vivo", agora em nova formação, que persiste até os dias de hoje. Em 2000, um novo show, batizado de "Brasil 500 anos", reavivou a atenção do público pelo grupo. Atualmente, o Premê continua na ativa, mas com shows esporádicos, quase sempre em São Paulo." (Fonte: Wikipédia)

A versão em CD desse LP, traz a faixa bônus Antwort, defendida por Paulinho Boca de Cantor no Festival de MPB da TV Tupi realizado em 1979. Destaco "Brigando na Lua", uma divertida canção que me faz lembrar de dois velhos amigos guacamoles, perseguirores de Miguelitos.

O Homem Traça diz: ROAM!



Brigando na Lua

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Visions of dawn - 1976 - Joyce


Postagem original: 12/02/2012


1 - Banana 
Joyce
2 - Clareana 
Mauricio Maestro - Joyce
3 - Metralhadeira
Mauricio Maestro - Joyce
4 - Nacional Kid 
Joyce
5 - Tudo Bonito 
Joyce
6 - Suite Parte 1
Memórias do Porvir
Mauricio Maestro
Suite Parte 2
Visões do Amanhecer 
Mauricio Maestro
Suite Parte 3
Carnavalzinho 
Maurico Maestro
8 - Jardim dos Deuses 
Mauricio Maestro
9 - Chegada 
Naná Vasconcelos

Músicos
Joyce - Rodolfo Stroeter - Tutty Moreno - Lula Galvão 

***************************************
Este é um disco sensacional da Joyce, acompanhada por Maurício Maestro e Naná Vasconcelos. Foi gravado em Paris em 1976 e esteve inédito no Brasil até 2010. É o tipo de patrimônio cultural que, não fosse a rede, não estaria por aqui.

O Homem Traça diz: ROAM!

   

Banana

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Onde o olhar não mira - 1976 - Bendegó

Postagem original: 24/04/2011



1- Onde o Olhar Não Mira 
Vermelho - Capenga - Zéca/Patinhas
2- Obrigado Bandida
Patinhas
3- Olhos de Fogo
Zéca - Capenga - Patinhas
4- Você e Tú
Gereba - Tuzé de Abreu
5- Tierra LLena Del Sol Y de Luna
Capenga - Zeca - Gereba - Patinhas
6- O Côco Louco
Capenga - Carlos Eladio
7- As Muié Santa de Canudos
Gereba - Patinhas
8- Além de Arembepe
Gereba - Capenga - Zéca - Patinhas
9- Palhas de Miljo
Capenga - Vermelho - Patinhas
10-O Arco Íris Trovejou 
Capenga - Patinhas
11-Dom Tapanatara
Gereba - Patinhas
12-Chamego do Vicente
Gereba - Patinhas

 **************************************


Esse é o primeiro LP que ouvi do grupo, não sei se é por isso, mas considero-o a melhor obra.


O Homem Traça diz: ROAM!



Onde o olhar não mira

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Central do Brasil - 1998 - Antônio Pinto e Jaques Morelenbaum

Postagem original: 26/01/2007



1 - Central do Brasil
Antônio Pinto
2 - O trem
Antônio Pinto
3 - Toada e desafio
Capiba
4 - Sai, pirralho
Jaques Morelenbau
5 - Saída de trem
Antônio Pinto
6 - Atropelamento
Antônio Pinto
7 - Central
Antônio Pinto
8 - Insônia
Jaques Morelenbaum
9 - Toada e desafio (caminhão)
Capiba
10 - Conversa
Antônio Pinto
11 - Despedida
Antônio Pinto
12 - Toada e desafio (casa de Jesus)
Capiba
13 - Matinal
Antônio Pinto - Jaques Morelenbaum
14 - Toada e desafio (estrada)
Capiba
15 - Correio
Jaques Morelenbaum
16 - Porteira
Antônio Pinto
17 - Milagres
Autor desconhecido
18 - Toada e desafio (fotografia)
Capiba
19 - Vem comigo
Jaques Morelenbaum
20 - A carta de Dora
Antônio Pinto
21 - Preciso me encontrar
Candeia (canta Cartola)

Músicos
Jaques Morelenbaum - Cello

Antônio Pinto - Piano
Edu Morelenbaum - Piano
Marcos Suzano - Percussão
Siba - Rabeca
Luiz Brasil - Violão, Viola de 10 cordas e Bandolim

Orquestra
Violinos - Giancarlo Pareschi, João daltro de almeida, Bernardo Bessler, Michel Bessler, José Alves da Silva, Walter Hack, Ricardo amado, Paschoal Perrotta
Viola - marie Christine S. Bessler, Jesuína Passaroto
Cello - Marcio Mallard, Jorge Ranevsky
Contra-Baixo - Denner campolina
Regência, Orquestração e Arranjos - Jaques Morelenbaum e Antônio Pinto

*****************************************
Assisti esse filme em 1998 e recentemente foi reapresentado na TV, na madrugada do dia 25 de dezembro. A família empanturrada da ceia de natal, já dormindo e eu ali vendo esse filme novamente...

Sei que é um filme meloso para muitos e chocante para outros, mas não vou entrar no mérito. Aqui o que me importa é minha experiência pessoal com o filme e sua trilha sonora. Só sei que depois de ver esse filme eu sempre choro (acreditem traças uma vez ou outra também choram). Na primeira vez foram 15 minutos de choro sem controle ao lado da sala de cinema!

A esperança do garoto em encontrar o pai, a comunicação falha pelas cartas e pelo analfabetismo, fizeram-me recordar dos longos períodos longe de meu falecido pai, que na época, escrevia cartas a mim, o primogênito, delegando responsabilidades e alimentando a esperança na base do "volto já".

As músicas da trilha mantêm o espírito da coisa, esperança, desespero, humanização e desumanização, são palavras que permeiam as melodias deixando-nos nostálgicos e com saudades da inocência que pegara o trem e jamais voltou.

O Homem Traça diz: ROAM!


   


Central do Brasil

EP - 1977 - Joelho de Porco

Postagem original: 23/12/2007


01 - La lampara de Edison
Tico Terpins - W. Baillot - B. Bond
02 - Ruiseñor brasilero
Tico Terpins - Billy Bond
03 - Mexico lindo
Tico Terpins
04 - Boeing 723897
Tico Terpins


*****************************************

"Um dos grandes nomes do rock brasileiro (“amadrinhado” pela cantora Aracy de Almeida) e precursor da atitude punk, o grupo paulistano Joelho de Porco foi formado em 1972 por Tico Terpins (ex-Os Baobás), Walter Baillot, Próspero Albanese, Conrado Assis e Rodolfo Ayres Braga. Em 1973, com o vocalista (e ator) Ricardo Petraglia, gravou o compacto simples “Se Você Vai de Xaxado, Eu Vou de Rock And Roll/Fly America”, produzido pelo ex-Mutantes Arnaldo Baptista. Dois anos depois, o Joelho lançou seu primeiro LP, “São Paulo 1554/Hoje”, um dos mais elogiados discos da época, misturando rock pesado e referências tropicalistas em faixas como “Boeing 723897” e “Mardito Fiapo de Manga”. Em 1976, entrou o vocalista argentino Billy Bond, com quem a banda partiria para uma linha mais agressiva, próxima do punk rock que explodia naquela mesma época na Inglaterra. Em 1977, o Joelho gravou LP homônimo e pouco tempo depois, encerrou suas atividades. Tico Terpins partiu para o mercado dos jingles publicitários, montando o estúdio Audio Patrulha. Com Próspero e o cantor e compositor Zé Rodrix (ex-Sá, Rodrix e Guarabira), ele logo remontou o Joelho, que voltou ao disco em 1983 com o LP duplo “Saqueando a Cidade”, das músicas “Vigilante Rodoviário”, “Vai Fundo” e “Funicoli, Funicolá” (versão roqueira da tradicional canção italiana). Com o vocalista e fotógrafo David Drew Zingg, a banda ganhou o prêmio de melhor letra do Festival dos Festivais da TV Globo (1985) por “A Última Voz do Brasil”. Em 1988, o Joelho de Porco lançou o LP “18 Anos Sem Sucesso”, com repertório do pop americano pré-rock. Em 1998, Tico Terpins morreu de enfarte."
Texto emprestado do falecido Blog Lágrima Psicodélica.

EP´s eram discos promocionais em 45 rpm, utilizados para divulgação em rádios e coisas assim. O curioso desse, é o fato de as músicas serem cantadas em castelhano, com exceção de "Boeing 723897", mas mesmo assim essa faixa traz alguns incrementos feitos em estúdio, diferentes da gravação do LP original.

O Homem Traça diz: ROAM!

   


La lampara de Edison