domingo, 13 de maio de 2018

Criança faz Arte - 1984 - Doroty Marques

Postagem original: 13/09/2008



1 - Era uma vez
José Agostin Guytisolo - Dércio Marques
2 - Fundo da mata
Domínio Público
3 - Tapararv
Folclore Andino
4 - Cantigas de brincar
Folclore
Peixe vivo
Atirei o pau no gato
Terezinha de Jesus
Ema corredeira
5 - Pega pega
Paulo Gomes
6 - Largatixa
Dércio Marques
7 - O Vaqueiro e o Bicho Froxo
Tema do cantador
Doroty Marques
Tema do namoro
Doroty Marques
Pastorinha
Chico Maranhão
Tema do bicho froxo
Josias Sobrinho - Tácito Borralho
Lamento do vaqueiro
Doroty Marques
Miquelina
Domínio Público
Tema do papa figo
Doroty Marques
Janaína
João Bá - Doroty Marques
Boi encantado
Giordano Mochel
Boi de janeiro
Domínio Público

Músicos - Atores
Doroty Marques e Dércio Marques
Beto Lima e Beto Andreta

**************************

O simples ato de brincar, de cantar, jogar o jogo do faz de conta junto com as crianças, é o fio condutor desse disco. Música, poesia e teatro para aqueles que gostam de trazer sua criança consigo. Bananas para o adulto opressor!

Esse disco é para o Teo (meu afilhado cultural) e para os coleguinhas de todas as idades. Destaco "Pega pega", uma gostosa canção-brincadeira interpretada por Dércio Marques.

O Homem Traça diz: ROAM!



Pega pega

Semente - 1979 - Doroty Marques


1 - Canção cansada 
Paco Bandeira
2 - João semente (poema) 
João de Castro
3 - Eterno como areia 
José M. Giroldo
4 - Vento vadio 
S. Sá
5 - Caminhada (Minha História) 
S. Sá
6 - Lamento borincano 
R. Hernandez
7 - Giramundo 
Luís Edgard
8 - João Semente 
João de Castro
9 - Mourão de cerca 
José M. Giroldo
10 - Não mande a geada não 
Maria do Céu
11 - Tonta 
Chico de Ubatuba
12 - Salário nanico 
Saulo Pinto Muniz
13 - Estrela do Norte 
Lumumba

Músicos
Doroty Marques - João de Castro - Dércio Marques - Oswaldo - Silvano - Cláudio Bertrani - Klécius - Ênzo Merini - Jamil Maluf - Cáceres - Chakiri

****************************

Esse é o primeiro LP da Doroty Marques. Traz o seu canto forte, com canções de compositores sintonizados com a vida dos trabalhadores, com a luta, as alegrias e dores características da classe produtora. Belíssimo, é um LP raro nas prateleiras, mas há tempos está nas redes, pois continua atual.

O Homem Traça diz: ROAM!

 

Não mande a geada não

terça-feira, 1 de maio de 2018

1o de Maio - 2018 - V.A.


1 - Primeiro de Maio
Chico Buarque de Hollanda - Milton Nascimento
Geraes - Milton Nascimento
1976
2 - Um canto de trabalho
Nelson Ângelo - Cacaso
Bicicleta - Boca Livre
1980
3 - Vida de operário
Marumby - D. Hilário - Nhô Néco
Que moda! - Passoca
1979
4 - Desperta!
Alessandra Leão
Brinquedo de Tambor - Alessandra Leão
2006
5 - Bom Dia
Gilberto Gil - Nana Caymmi
Bom dia - Tarancón
1980
6 - O patrão nosso de cada dia
João Ricardo
Secos & Molhados
1973
7 - Que força é essa
Sílvio Roriguez
Canto Forte - Dércio Marques
1979
8 - A massa 
Raimundo Sodré - Jorge Portugal
A Massa - Raimundo Sodré
1980
9 - Arreuni
Chico Maranhão
Erva Cidreira - Doroty Marques
1980
10 - Arueira
Geraldo Vandré
Canto Geral - Geraldo Vandré
1968
11 - Mote do navio
Pedro Osmar
Baque solto - Lenine & Lula Queiroga
1983
12 - Caxangá
Fernando Brant - Milton Nascimento
Elis- Elis Regina
1977
13 - Engenho de Flores
Papete
Bandeira de Aço - Papete
1978
14 - Damião
Juçara Marçal
Encarnado
2014
15 - A bandeira do meu partido
Jorge Mautner
Antimaldito - Jorge Mautner
1985

*******************************

Mais que um feriado, é dia de luta, de discussão, de demonstração de força. O 1º de maio de 2018, no Brasil, é mais especial ainda. Há quase dois anos do Golpe institucional (jurídico, parlamentar, midiático), eis que o seu programa se mostra incontestável: veio para ceifar os direitos dos trabalhadores e trabalhadoras com as contrarreformas trabalhista, da previdência, do Ensino Médio, veio para privatizar e privar ainda mais o povo da democracia tão parca. Agora, com o estado de exceção jurídico/militar, os golpistas avançam para tirar do povo o direito a votar em quem de fato escolheram para revogar as maldades encomendadas pelo mercado financeiro, em quem se compromete com a recuperação das riquezas do país entregues às multinacionais (pré-sal, Eletrobrás), em quem pretende convocar uma constituinte para varrer as instituições apodrecidas e avançar na realização das reformas populares. Lula foi preso sem provas, a maior representação que a classe trabalhadora brasileira já teve em sua história. Os golpistas esperam encarcerar os sonhos e findar com a organização da classe trabalhadora. Mas o povo resiste e no 1o de maio, ergue mais alto as suas bandeiras: Lula livre! Lula inocente! Lula presidente! 

Aqui temos uma pequena homenagem à classe trabalhadora brasileira, reforçando a fé de que a classe que tudo produz, tudo a ela pertence, sobretudo um futuro livre de opressão.

O Homem Traça diz: ROAM!

 

Primeiro de Maio

segunda-feira, 30 de abril de 2018

à queima roupa - 1974 - Sérgio Godinho


1 - Liberdade
2 - Cão raivoso
3 - A minha cachopa
4 - Assim como um postal para o Canadá
5 - Tem ratos
6 - O meu compadre
7 - Os pontos nos iis.
8 - De coração e raça
9 - Independência
10 - Etelvina
11 - O Grande Capital

Músicos
Sérgio Godinho - Bill Lockie - Dick Payne - Ron Zinco - Sheila Charlesworth - Paulo Godinho - Daniel Louis - Pedro Osório - José Machado - Jorge Constante Pereira

*******************************

Sérgio de Barros Godinho nasceu na cidade de Porto, em 1945. Conhecido como Sérgio Godinho, é poeta, compositor, intérprete e ator português. Seus LPs e composições do início dos anos de 1970 são parte da trilha sonora do movimento de resistência do povo português contra o fascismo. As canções desse LP fizeram parte das manifestações da vitoriosa Revolução dos Cravos, em abril de 1974.

Com letras contundentes sobre a situação política da época, as canções de Godinho estão situadas entre a música portuguesa e o folk. Inspiradoras, sobrevivem ao tempo, sobretudo diante do recrudescimento da luta de classes aqui mesmo no Brasil.

O Homem Traça diz: ROAM!

 

Liberdade

domingo, 22 de abril de 2018

Djavan - 1978


1 - Cara de Índio
Djavan
2 - Serrado 
Djavan
3 - Água 
Djavan
4 - Álibi 
Djavan
5 - Numa Esquina de Hanói 
Djavan
6 - Minha Mãe
Djavan - Wagner
7 - Alagoas
Djavan
8 - Estória de Cantador
Djavan
9 - Nereci
Djavan
10 - Samba Dobrado
Djavan
11 - Dupla Traição
Djavan

Músicos
Copinha - Eduardo Souto Neto - Hércules Pereira Nunes - Jayme Araújo - Jorginho da Flauta - Luizão Maia - Marizinha - Nelsinho - Robero Corrêa - Waldir - Ary Piassarollo - Hermes Contesini - Paulinho Braga - Adolpho Pissarenko - Alceu de Almeida Reis - Alfredo Vidal - Andréa Bueno Salinas - Arlindo Figueiredo Penteado - Atelisa de Salles - Carlos Eduardo Hack - Cesar Augusto Miranda - Danilo Caymmi - Frederick Stephany - Giancarlo Pareschi - Gilson Peranzzetta - Hélio Delmiro - Iberê Gomes Grosso - Jorge Faini - Jorge Kundert Ranevsky (Iura) - José Alves da Silva - José Dias de Lana - Márcio Eymard Mallard - Marku Ribas - Maurício S. Loures - Mauro Senise - Nathercia Teixeira da Silva - Picolé - Regina Corrêa - Salvador Piersanti - Walter Hack

*****************

Djavan Caetano Viana, nasceu em Maceió, em 1949. Aos 23 anos, vai para o Rio de Janeiro e tenta se inserir no mercado musical. Canta em Boates, faz as primeiras gravações para trilhas de novelas da Globo, em 1976 grava o seu primeiro LP.

Aqui está o segundo disco, com parte das suas primeiras 60 canções compostas nesse período. Sua mistura rítmica, agregando a música popular brasileira a elementos do jazz são marcas dessa fase brilhante.

O Homem Traça diz: ROAM!
  
 

Cara de Índio