quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Lápis de cor - Fátima Guedes - 1981
Postagem original: 31/01/2012



1 - Arco-íris
2 - Fraqueza
3 - Pelo Cansaço
4 - No Fim Da Casa
5 - A Bailarina
6 - Lápis De Cor
7 - Desacostumei De Carinho
8 - Celeste
9 - Bicho Medo
10 - Eu

Músicos
Eduardo Souto Netto - Ary Passarollo - Sizão - Paulinho Braga - Marcos Resende - Pareschi - Vidal - José Lana - José Alves - Carlos Eduardo - Walter Hack - Aizik - Paschoal - Penteado - Macedo - Alceu - Iura - Café - Zé Nogueira - Luiz Avellar - Moisés - Nilton Rodrigues - Marquinho - Pinduca - Nathan - Dazinho - Gilson Peranzzeta - Sivuca - Ed Maciel - Macaxera - Maurílio - Luiz Avellar

Participação especial

Simone

*****************************

Esse é o terceiro disco da carreira dessa magnífica compositora carioca, nascida em 1958, que começou a sua obra aos 15 anos. Essa capa de Elifas Andreato, artista cuja produção gráfica é intimamente ligada à música brasileira, chama especial atenção para esse LP. É um daqueles objetos sonoros que se tem de pegar, manusear e sentir o prazer, que emana das dez faixas de autoria da Fátima Guedes. 
Em sua trajetória constam gravações de intérpretes como Wanderléa, Elis Regina, Nana Caymmi, Zizi Possi, Joanna, Simone e Alcione, entre outros, mas foi uma gravação de Dércio Marques citando "Arco-íris" no disco Segredos Vegetais que me chamou atenção para a sua obra. Desde então, passei a admirar a sua voz aguda e a sua interpretação contundente dos quereres femininos.

Quer mais? Veja aqui

O Homem Traça diz: ROAM!



Lápis de cor 

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Inti-Raymi - 1973 - Arco Iris



1. Elevando una plegaria al sol
2. En nuestra frente
3. Maritimaria
4. La Pastora de los peces
5. Abran los ojos
6. Adonde iras, camalotal
7. Solo como el cardo
8. No quiero mirar atras
9. Elevando una plegaria al sol II (Inti Raymi)

Bônus
10. Soy un pedazo de sol
11. Llegó el cambio
12. El niño, la libertad y las palomas
13. Kukurico
14. La sabia verde 
15. Detrás

Músicos
Ara Tokatlián - Guillermo Bordarampé - Gustavo Santaolalla - Horacio Gianello  

*****************

Esse é um disco é mais apoiado na música da cultura tradicional argentina, com pitadas de folk e rock e progressivo, o resultado é muito interessante.

O Homem Traça diz: ROAM!

terça-feira, 18 de novembro de 2014

ARCO IRIS - 1970
Postagem original: 22/01/2008



1 - Quiero llegar
2 - Hoy te mire
3 - Camino
4 - Coral
5 - Te quiero, te espero
6 - Luli
7 - Cancion de cuna para el niño astronauta
8 - Y una flor (el pastito)
9 - Tiempo
10 - Y ahora soyBonus track's
11 - Lo veo en tus ojos
12 - Cancion para una mujer
13 - Luisito, cortate el pelo
14 - Solo tengo amor
15 - Blues de dana
16 - Quien es la chica?
17 - Es nuestra la libertad
18 - Zamba

Músicos

Ara Tokatlian: Sopros
Guillermo Bordaram
: baixo

Gustavo Santaolall
: guitarra e voz

Horacio Gianell
: bateria e percussão
***********************************
Eu sou da opinião de que em matéria de música os argentinos mandam muito bem há tempos. Se ficarmos só com rock progressivo as minhas bandas prediletas na América Latina vêm da Argentina e sempre me deparo com coisas novas ou antigas que me sensibilizam demais.
Este é o primeiro disco da banda argentina "Arco-Íris". Ainda está longe de seus melhores álbuns, mas os elementos que mais tarde desenvolverão (blues, rock, jazz e o progressivo), em canções com uma recorrente influência folk, já estão presentes.

Ainda sem Gianello, com a colaboração de Alberto Cascino na bateria, os instrumentos habituais do Arco-Íris são flautas, sax´s e instrumentos de percussão experimentais, diversos do então rock argentino da época. Neste LP de estréia, na capa já se pode ver o símbolo que identificará a banda Arco-Íris (a chave de Dana) em todas suas produções.

O tango aparece aqui com uma modalidade nova, o Arco-Íris cita Piazzola na faixa “Quiero llegar”. As faixas bônus apareceram primeiro em compactos e, anos mais tarde, em compilações.

O Homem Traça diz: ROAM!



Tiempo 

domingo, 9 de novembro de 2014

Nito Mestre Y Los Desconocidos De Siempre - 1977

Postagem original em 30/05/2009




01 - Y las aves vuelan
Nito Mestre - Leon Gieco
02 - El tiempo para descubrir el mal
Nito Mestre
03 - Tema de goro
Rodolfo Gorosito
04 - Juego de voces
Nito Mestre
05 - Mientras no tenga miedo de hablar
Nito Meste - Maria Rosa Yorio
06 - Fabricante de mentiras
Charly Garcia
07 - Los días de marzo
Nito Mestre - Leo Sujatovich
08 - Finalmente nos dejaron esperando
Nito Meste

***************************
Esse disco eu comprei junto com o do Karma. Um cara estava querendo fazer grana pra comprar outro disco importado e me ofereceu barato. Até então eu não tinha ouvido falar de uns e outros. Depois viraram "discos de cabeceira".

Carlos Alberto "Nito" Mestre nasceu em 1952. Ele estudou flauta e participou de corais, no contexto da música clássica até os 13 anos, quando ouviu Beatles. No colégio, com Charly García, formou o Sui Generis, duo que existiu até 75.


Após um interessante trabalho de folk-rock com Gieco e Porchetta (PorSuiGieco), Nito chama atenção para um respeitável grupo de músicos.

Com o tecladista Cyrus Fogliatta (antiga Los Gatos), a banda foi completada pelo ex-gato também Alfredo Toth (baixo), Pratti Francisco (bateria), Leo Sujatovich (teclados) e Rodolfo Vangelispiu (guitarra). Um grupo experiente, cada um dos músicos tinham uma história e prestígio.

O disco é essencialmente um folk acústico, à moda de Crosby, Still, Nash & Young. Exceto para o "Tema da Goro", que é um rock, o resto são suaves melodias vocais com excelentes arranjos.

O Homem Traça diz: ROAM!



Los días de marzo