domingo, 30 de agosto de 2009

Grupo Paranga - 1982

postagem original: 29/01/08



01 - Arauto
Galvão Frade e Pio Filho
02 - Canoa
Dito Geraldo
03 - Dona do salão
Elpídio dos Santos e Conde
04 - Festas, fogos, para raios
Galvão Frade e Marco Rio Branco
05 - Quem dera!
Galvão Frade
06 - a) Fulia
Mestre Luiz de Catuçaba
b) Cai sereno (na rama da mandioquinha)
Elpídio dos Santos e Conde
07 - Você vai gostar
Elpídio dos Santos
08 - Nhôlambis (instrumental)
Galvão Frade - Osnir Perdigão
09 - Saudade danada
Elpídio dos Santos - Osnir Perdigão
10 - Desde aquele carnaval
Dito do Bem - Galvão Frade
11 - Bobão
Benedito de Paula
12 - Uma das bandas da bunda
Marco Rio Branco
13 - Arauto II
Galvão Frade - Pio Filho

Grupo Paranga
Pio, Parê, Negão, Renata, Galvão, Nena, e Nhô

Participação especial
Pauleca, Quadô, Quica, Gordo, Irmãos Zamith, Marquinho, Thar e Tota

************************************

Em meados da década de 70, Negão, Pio, Parê e Nena – filhos do compositor Elpídio dos Santos, compositor preferido de Mazzaropi – e mais alguns jovens de São Luís de Paraitinga resolveram criar um grupo para canalizar a intensa produção musical da região. Influenciados também pela atmosfera libertária da contracultura, misturaram as folias populares ao rock'n roll e formaram o Grupo Paranga.

No começo da década de 80 – paralelamente à cena pop-rock, em que bandas como Titãs, Ultraje a Rigor e Ira! comandavam a festa –, vinha à tona o que veio a se chamar de Vanguarda Paulistana: movimento de cunho experimentalista, que trabalhava letras de humor refinado, ao mesmo tempo que fundia as raízes musicais brasileiras ao rock e à música erudita contemporânea. Foi no principal reduto desse movimento, o Teatro Lira Paulistana, que o mosaico musical do Paranga ganhou maior acolhida de público, os luizenses marcando época ao lado de artistas como Arrigo Barnabé, Itamar Assunção e grupos como Premeditando o Breque, Rumo e Língua de Trapo.

Em 1982 é lançado o LP "Chora viola, canta coração", o qual teve boa aceitação de público e crítica, impulsionando a carreira do grupo que tão bem nos apresentou essa salada caipira. Nota-se no disco a presença de "marchas" com sotaque diferente, traço marcante do carnaval de São Luís que atrai milhares de turistas para brincar em suas ruas a cada novo fevereiro.

O Homem Traça diz: ROAM!




Uma das bandas da bunda