segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

 Itamar Assumpção - Pretobrás - 1998



1 - Cultura Lira Paulistana 
Itamar Assumpção
2 - Abobrinhas Não 
Itamar Assumpção  - Alice Ruiz
3 - Vá Cuidar Da Sua Vida
Geraldo Filme 
4 - Petrobrás
 Itamar Assumpção
5 - Extraordinário
Itamar Assumpção 
6 - Vida De Artista
 Itamar Assumpção
7 - Dor Elegante
 Itamar Assumpção - Paulo Leminsk
8 - Poltinglen 
Itamar Assumpção
9 - Vou De Vai-Vai 
Itamar Assumpção 
10 - Porque Eu Não Pensei Nisso Antes 
Itamar Assumpção 
11 - Apaixonite Aguda
Itamar Assumpção
12 - Já Que Tem Que 
 Itamar Assumpção- Alzira Espíndola
13 - Outras Capitais
Itamar Assumpção
14 - Ich Liebe Dich
 Itamar Assumpção- Zé du Rock
15 - Elke Maravilha
Itamar Assumpção
16 - Olho No Olho 
Itamar Assumpção - Vange Milliet
17 - Reengenharia
Itamar Assumpção - Sérgio Guardado 
18 - Pesadelo 
Luiz Chagas
19 - Amigo Arrigo 
Itamar Assumpção
20 - Deus Te Proteje 
Itamar Assumpção
21 - Queiram Ou Não Queiram 
Itamar Assumpção


Músicos
Itamar Assumpção - Luiz Chagas - Alzira Espíndola - Vange Milliet - Bocato - Zé Luiz - Oswaldinho da Cuíca - Paulo Lepetit - Amintas Brasileiro - Zélia Duncan - Renato Lemos - Iara Espíndola - Anelis Assumpção - Renata Mattar - Cesar Botinha - Gigante Brazil - Leandro Paccagnella - Lanny Gordin - Gustavo Chagas - Luiz Waack - Claudio Faria

*****************************

"Em 1975, venceu um festival de música em Campinas com sua canção "Luzia" e participou do Festival da Feira da Vila, em Vila Madalena, com sua composição "Nego Dito". Integrou a vanguarda paulistana, formada no Teatro Lira Paulistana, ao lado de Arrigo Barnabé e da banda Sabor de Veneno. Em 1979, apresentou no Festival de Música Popular, o último realizado pela extinta TV Tupi, a canção "Sabor de veneno", ao lado de Arrigo Barnabé.

Misturando samba, reggae, funk e rock, lançou, nos anos 1980, acompanhado da banda Iscas de Polícia, os LPs "Beleléu, Leléu, e eu" (1980), "Às próprias custas S. A." (1983), "Sampa midnight - Isso não vai ficar assim" (1986) e "Intercontinental! Quem diria! Era só o que faltava" (1988). Suas letras, marcadas por uma crítica contundente, e a música de pouco apelo comercial, acabaram dando-lhe uma aura de "artista maldito", alcunha que sempre recusou."
Fonte


Creio que foram 11 discos em vida, considerando o "Bicho de 7 cabeças" um título de três álbuns (LP) e deixando de lado alguma participação em discos de amigos ou coletâneas. Apesar de ser caracterizado como vanguarda, Itamar é "retrô" na medida em que não largou o osso da tradição. 

Entre tantas criações primorosas, Pretobrás é um dos discos mais felizes e harmoniosos no estilo construído por Itamar. Em tempos de carnaval destaco "Vou de Vai-vai" e "Vá Cuidar de sua vida" de Geraldo Filme. Itamar faleceu em 2003, deixou saudades de seus espetáculos teatralizados, mas sua marca está registrada e reconhecível em tantas canções-sínteses como "Vida de Artista".

A amiga Estela pediu, cá está.

O Homem diz: ROAM!


Vida de Artista

3 comentários:

Luiz Diniz disse...

Ei roedor, tem comida pra caramba aqui. Prato cheio.
vou por o link deste refeitório no meu. abraço e sucesso.

nalva kuhn disse...

Criatura, que loucura! Bota raridade nisso.

Maravilhoso!

mutan disse...

e aí criatura de sebo?

me ajuda a achar essa extrema raridade.
veja o link : http://www.verbofilmes.org.br/index.php?page=shop.product_details&category_id=14&flypage=flypage.tpl&product_id=116&option=com_virtuemart&Itemid=79&vmcchk=1&Itemid=79


valeu