sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Luli e Lucina - 1978
Postado originalmente em 26/01/08



1 - Pois é
Luli e Lucina

2 -
Cheiro de Rosa

Luli e Lucina
3 -
Yorimatã okê aruê

Luli e Lucina
4 - Me rói
Luli e Lucina
5 -
Toque forte

Mário Avellar - Luli - Lucina
6 -
Coração aprisionado

Luli e Lucina
7 -
Ai, ai
Luli e Lucina
8 -
Amor será

Luli e Lucina
9 -
Numa rede

Luli e Lucina
1 0 -
Pequenininha

Luli e Lucina 1
1 -
El corazón te guiará

Mário Borges da Fonseca - Luli - Lucina
12 -
E foi

Luli e Lucina

Músicos
Luli e Lucina - Violão, percussão e vozes
Alvinho - Cavaquinho
Chico Batera, Nacho e Ciça - Percussão
Nivaldo Ornellas - Piano, voz e flauta
Fernando Leporace - Baixo
Maurício Einhorn - Gaita
Paul de Castro - Guitarra e violino
Rui Motta - Bateria e Percussão
Lena, Chipo Pupo e Lúcia Turnbull - Vocal
Harry Schroeter - violino
Luciano e Luís Paulo Simas - Piano
Alceu - CelloTúlio Mourão - Arp String
Paulinho Machado - Piano Elétrico

*************************************
Nos anos 80 grande parte do que era novo e/ou alternativo na MPB passava pela programação da Rádio USP. Nos programas especiais eu apreciava de tudo um pouco, sons alternativos de toda parte. E foi assim que ouvi a música de Luli e Lucina pela primeira vez.

Se eu fosse listar composições para uma "trilha sonora" do filme da minha vida, certamente Luli e Lucina estariam entre as primeiras faixas. O nome do filho que nunca tive viria de uma de suas canções, tenho gravadas brincadeiras musicais com minha filhinha mais velha cantando "Pequenina" e muitos registros de reflexões impostas pela vida embaladas por suas letras e melodias.

Os nomes verdadeiros das moçoilas são: Heloisa Orosco Borges da Fonseca e Lucia Helena Carvalho e Silva. A dupla Luli e Lucina foi revelada no VI FIC (1971, ano em que gravam o primeiro compacto duplo), ao classificar a música “Flor lilás”. Luli e Lucina vinham da participação no Grupo Manifesto, em 1967 emprestavam suas vozes femininas acompanhando o grupo no Festival Internacional da Canção, o que credenciou Luli para o primeiro LP solo, bossanovista ao gosto da época. Nesse Festival acompanhavam um tal de Gutemberg Guarabyra, também integrante do grupo Manifesto, na canção vencedora intitulada Margarida.

Durante os anos 70 a dupla se afirmou, transitando entre os artistas alternativos ou não que iniciavam suas carreiras. Conta-se que Ney Matogrosso fora apresentado por Luli à trupe dos Secos e Molhados, não por acaso, duas de suas canções mais conhecidas (O vira e Fala) foram gravadas no primeiro disco do grupo. Durante toda sua carreira Ney Matogrosso recorre a músicas da dupla Luli e Lucina para compor o repertório de seus discos, como Bandoleiro e De Marte, entre tantas outras.

Esse é o primeiro LP gravado pela dupla, o terceiro disco independente no Brasil. Sua música é deveras feminina, ousada, delicada e com força experimental de quem há muito está além do rótulo generalizante chamado MPB.

A dupla durou 25 anos e hoje cada uma segue seu caminho solo mantendo a qualidade musical como característica perene.

Pra saber mais: sítio da Luhli, sítio da Lucina, entrevista muito divertida com a Luhli!

O Homem Traça diz: ROAM!



Toque forte

11 comentários:

Marcos Eduardo Rinaldi da Silva F disse...

Olá amigo
Antes de mais nada o parabenizo pelo blog, uma bela iniciativa e trabalho, estou certo de que encontrarei muita coisa boa e rara aqui...
Esse disco está com o link inválido...será que poderia por gentileza postá-lo novamente?

Abraço, e continue divulgando as raridades...Quem gosta de MÚSICA agradece!!! :)

infinitesimal disse...

Também desejo o mesmo que o amigo acima!
Parabéns pelo blog!

Homem Traça disse...

Tá aqui, aproveite!

Abraço!

Marcos disse...

Caríssimo Homem Traça, salve

Já tinha ouvido falar do seu blog, por um amigo mais enturmado no mètier. Pô, mas na primeira vez que abro a página dou de cara com a Luli e a Lucina!!!

Cara, que legal, faz uma semana que me deu uma saudade das duas e fiz uma catança de vídeos no iutúbe. Foi uma surpresa e tanto encontrar seu blog e ter essa recepção. Vou até procurar aqui em casa uma velha coletânea bem alternativa, "Eta Nóis" e botar a vitrola pra funcionar. Preciso é descobrir como é que posso ripar esses vinis e começar a contribuir com vocês (por vocês digo, a Bruxa, o Fulano....).

Vida longa e próspera, Homem Traça!

Anônimo disse...

Isto aki tem mais bosta do que banheiro de festa

Anônimo disse...

E o seu cérebro tem mais câncer do que a minha próstata.
Anônimo também.

Homem Traça disse...

Que bom que gostou, Marcos. Tenho colocado por aqui, em grande parte, o que gosto mais de ouvir. É interessante que até os anônimos escatológicos (seriam punk's empedernidos?) têm sido atraídos para o repertório das nossas prateleiras! É isso aí, roam à vontade!

Flavio disse...

É, quem não roi, se corroi. Obrigado por compartilhar seu gosto com a gente. E continue postando essas raridades!
Abraço.

Homem Traça disse...

Valeu, Flávio!
Abraço!

Paulo Francisco de Araujo disse...

Caramba! você me fez voltar no tempo. Conheci a dupla quando Lucina se chamava Lucinha.
No Teatro Dulcina no Rio, assisti três grandes duplas. Antônio Carlos e jocafi, Kleiton e Kledir e elas. Elas arrebentaram com seus instrumentos alternativos.
Parabéns pelo Blog.

Homem Traça disse...

Valeu, Paulo!