segunda-feira, 1 de maio de 2017

Antes do fim - 2017 - Belchior


01 - Aurora - Belchior e Ednardo (Massafeira - 1980)
Belchior - Ednardo
02 - Pagando pra ver - Belchior e Nonato Luiz (Canções - 2002)
Nonato Luiz - Abel Silva
03 - Como nossos pais - Luli e Lucina (Elis e Elas - 1995)
Belchior
04 - Ellis - Belchior e Bené Fontelis (Benedito - 1983)
Bené Fontelis
05 - Aguapé - Belchior e Fagner (Soro - 1979)
Belchior
06 - A Palo Seco - Ednardo (O Romance do Pavão Misterioso - 1974)
Belchior
07 - Noves Fora - Emílio Santiago (Amigos e Canções - 1998)
Belchior - Fagner
08 - Espacial - Teti (Teti - 1979)
Belchior
09 - Velha roupa colorida - Elis Regina (Falso Brilhante - 1976)
Belchior
10 - Sensual - Ney Mato Grosso (Feitiço - 1978)
Belchior
11 - Senhoras do Amazonas - João Bosco e Sérgio Mendes (Brasileiro - 1998)
Belchior - João Bosco
12 - Bossa em palavrões - Belchior (Ednardo, Amelhinha & Belchior  - Pessoal do Ceará - 2002)
Belchior
13 - Mucuripe - Lanny Gordin e Fernanda Takay (Duos - 2002)
Belchior
14 - Antes Do Fim - Belchior (Alucinação - 1976)

***************************

Soube do seu desaparecimento definitivo na manhã do dia 30 de abril de 2017. Aguardei o dia passar para ver se se confirmava, afinal não é fácil de acreditar, com tantos boatos acerca desse personagem recentemente "notabilizado também pelo sumiço". É incrível também como as suas canções, passadas mais de quatro décadas ainda são atuais. Sim, "há perigo na esquina". Sim, "desesperadamente eu grito em português". Sim, "ano passado eu morri, mas esse ano eu não morro". Sim, "as lágrimas do jovem são fortes como um segredo: podem fazer renascer um mal antigo". Sim, "amar e mudar as coisas me interessa mais".

Aqui, reunimos algumas canções gravadas por grandes nomes e participações de Belchior em discos diversos, um humilde meio que encontramos de nos despedirmos sentados ao seu lado nesse banco para um papo solto.

Com a aorta rompida em 29 de abril, após a grande greve geral de 2017, Belchior deixou o seu legado de poesia e música para os corações que ficam seguirem firmes na luta. Grato por tudo, companheiro!

O Homem Traça diz: ROAM!

 

Aguapé

Um comentário:

Anônimo disse...

Não lembro exatamente o ano (entre 1995 e 1998) tive o privilégio de ver um show dele na longínqua Santa Rosa-RS. Em pleno mes de junho... um frio muito forte, mas acalantados por suas canções e um bom vinho tinto, fomos transportados... bela lembrança. E curiosamente ele terminou seus dias, no meu Estado, RS. Que descanse em paz. Sou do tempo do vinil e dos CDs ORIGINAIS. Tenho vasto material dele. Como o amigo mesmo disse, as suas músicas permanecem muito atuais.