sexta-feira, 20 de abril de 2018

Ihu-Todos os Sons - 1995 - Marlui Miranda


01 - Tchori Tchori
Índios Jaboti de Rondônia
02 - Pamé Däworo 
Índios Jaboti de Rondônia
03 - Tche Nane 
Índios Jaboti de Rondônia
04 - Ñaumu 
Índios Yanomami de Roraima
05 - Awina-Ijain Je E'
Índios Pakaa Nova de Rondônia
06 - Araruna 
Índios Parakanã do Pará
07 - Mena Barsáa - Baya Barsáa 
Índios Tukano do Amazonas
08 - Bep 
Índios Kayapó do Pará
09 - Festa Da Flauta 
Índios Nambikwara do Guaporé/MT
10 - Yny Maj Hyrynh - A Você Eu Canto
Índios Karitiana de Rondônia/José Pereira Karitiana
11 - Hirigo 
Índios Tupari de Rondônia
12 - Wine Merewá 
Índios Suruí de Rondônia
13 - Mekô Merewá 
Índios Suruí de Rondônia
14 - Ju Parana
Índios Juruna do Mato Grosso do Norte
15 - Kworo Kango 
Índios Kayapó do Pará
16 - Mito - Metumji Iarén 
Índios Suyá do Mato Grosso do Norte
17 - 15 Variações De Hai Nai Hai 
Índios Nambikwara do Guaporé/MT


Músicos
Artur Andrés Ribeiro - Décio de Souza Ramos Filho - Rodolfo Stroeter - Paulo Sérgio dos Santos - Bugge Wesseltoft - Caíto Marcondes - Paolo Vinaccia - Teco Cardoso

Participação Especial
Gilberto Gil - Grupo Uakti - Grupo Beijo

*************************

Nesse CD, que também teve uma versão em livro, Marlui Miranda apresentou sons de 11 tribos, foi o primeiro mapeamento da música indígena brasileira. Resultado de 17 anos de pesquisa, girando por 50 nações indígenas da Amazônia, o livro e o CD "Ihu" (palavra que significa "todos os sons" na língua dos camaiurás), nas palavras de Marlui, "promove uma transferência cultural, pela primeira vez, a arte sonora do índio pode ser executada quase que literalmente por músicos urbanos ocidentais." Nem um indígena participou das sessões de gravação, embora se perfilem amostras gravadas durante a pesquisa. As músicas foram transcritas em partitura por Marlui segundo a notação clássica. "Ihu" teve uma tiragem inicial de 2.000 CDs. 

Esse traça que vos escreve esteve nos shows da época, inclusive o CD foi adquirido naquela oportunidade. Infelizmente, é um daqueles empréstimos que nunca mais voltaram às nossas prateleiras.

O Homem Traça diz: ROAM!

 

Araruna 

2 comentários:

Ranieri disse...

Que grande raridade. Isso vale ouro...
Agradeço ao blog mais uma vez.

Homem Traça disse...

Opa! Nós é que agradecemos a visita!

Grande abraço!