sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Cássia Eller - 1990

Postagem original: 30/12/2011



1 - Já Deu Pra Sentir - Tutu
Itamar Assumpção - Marcus Miller
2 - Rubens
Mário Manga
3 - Barraco
Roberto Frejat - Jorge Salomão
4 - Que o Deus Venha
Frejat - Cazuza - Clarice Lispector
5 - Eleanor Rigby
John Lennon - Paul McCartney
6 - Otário
Itacyr Bocato Júnior
7 - Por Enquanto
Renato Russo
8 - O Dedo de Deus
Manga - Arrigo Barnabé
9 - Lullaby
Cássia Eller - Márcio Faraco
10 - Não Sei o Que Eu Quero da Vida
Arrigo Barnabé - Hermelino Neder
11 - Tutti Frutti
Dorothy LaBostrie - Little Richard

Músicos
Cássia Eller - Roberto Frejat - Jorge Helder - José Marcos - Nelson Faria - Elcio Cáfaro - Mac Willian - Dunga - Tom Capone - Peninha - Wanderley Silva - Márcio Faraco - Andréia Ernesto Dias

****************************

Nem preciso falar muito, já há o bastante sobre essa moça na rede. Quase não acredito que esse seu primeiro disco já tem mais de 25 anos! Sempre que o ouço lembro de histórias e pessoas queridas.

Tive um "namoro" com o pôster desse disco por meses. Eu descia para a estação Barra Funda todos os dias após o trabalho, passava numa loja de discos que havia na Av. Francisco Matarazzo e lá estava Cássia deitada sorrindo com seus cabelos compridos. Os vendedores me negaram o pôster meses a fio. O pôster ficou famoso, contei para os meus amigos e graças a isso, numa festa de aniversário alguém que contou pra outro alguém tinha um marido na loja e o pôster virou meu presente de aniversário. Tantos outros pôsteres se foram, mas o da Cássia está por aqui.

Lembro de tantos espetáculos que assisti cercado de gente querida! No Anhangabaú, nos parques da cidade, mas teve um especial no SESC Pompéia: Cássa e Almir Sáter. Levei a minha mãe, que comigo curtiu os dois. A maioria do público estava lá pra ver o "violeiro da novela"  e se chocou quando Cássia, no êxtase de sua performance, mostrou seus seios no palco (Chicão ainda estava pequenino na barriga).

Na véspera do desaparecimento de Cássia eu estava acampado, isolado da babilônia. À beira-mar, comentava com uma amigo o tanto de música boa que ouvimos da geração 90, Cássia teve destaque, pois sempre teve a manha de fazer brilhar tudo o que  tocou (até o insosso Nando Reis!). Passamos alguns dias e encontramos um companheiro de viagem recém chegado da metrópole que nos contou sobre a morte de Cássia. Não acreditamos até voltarmos pra casa, éramos um tipo de gente que "chegou um dia a acreditar que tudo era pra sempre".

Esse disco é recheado de asperezas, belezas e encantos para quem sabe "experimentar o delicado da vida".

O Homem Traça diz: ROAM!


Que o deus venha

Um comentário:

Vagalumeazul disse...

É amigo... sinto muita saudade da Cássia. Ela deixou um enorme vazio. Quando à escuto nem me parece possível que ela tenha partido tão cedo, tão moça ainda.
Me lembro dela numa participação num show do Nei Lisboa em Novo Hamburgo-RGS, bem no começo da carreira dela, acho que era final dos anos 80. Bem garotona ainda, aquele geito moleque...
Que saudade.
Abçs.